Você quer vender mais, mas está sem saber por onde começar? Então está na hora de ver o que existe de mais novo no mercado. Para isso conheça como deve ser a nova loja de calçados

Veja abaixo alguns aspectos importantes para você se adaptar à nova realidade do setor calçadista.

1)Menos produtos, mais engajamento

vitrine a nova loja
Vitrine rústica da Fabrikatto Calçados

Colocar vários produtos em grandes quantidades na vitrine de sua loja? Não faça isso. A nova loja possui produtos que podem ser facilmente encontrados. Seja original. Nada daquela disposição em que os modelos e faixas de preços são comuns no mercado. Crie o desejo de compra. E isso não quer dizer, obrigatoriamente, que tenha a ver com o menor preço.

2) Mais diferenciação, mais venda

Organizar uma vitrine é de suma importância para quem deseja vender. Ela é o chamariz para o consumidor e pode significar maior movimentação e mais compras.

Para isso, invista em maior variedade de produtos. Não coloque os mesmos tênis com modelos diferentes. Opte por marcas diferentes, modelos diferenciados que possam chamar a atenção do seu consumidor.

Outra boa estratégia pode ser o uso de uma iluminação mais quente. Ela ajuda a criar um ambiente mais aconchegante do que o efeito da luz branca que torna a loja fria e impessoal.

3) Selfshoes

a nova loja
Móvel de autosserviço é um facilitador para vendedores e clientes.

O selfshoes ou autosserviço é uma tendência cada vez maior. O consumidor está cada vez mais digital, valendo-se de compras em diversos canais, principalmente com o omnichannel. Aliás, isso pode ser excelente para o lojista que busca reduzir os custos com equipe de vendas.

Outro ponto a se ressaltar é que o móvel de autosserviço é uma solução simples e barata. Para o cliente, ele é um facilitador, pois ajuda a procura pela numeração do sapato de que ele gostou. Nele um modelo fica à mostra e os demais, guardados dentro de caixas numeradas ao seu alcance. Ótimo para o cliente e também para o vendedor.

4) Omnichannel

Definir o que é virtual e o que é real. Talvez esse seja um dos problemas das últimas décadas. Para o consumidor, esse limite tem se tornado cada vez menor. Integrar a loja física e a digital é fundamental para quem quer ter sucesso em suas vendas. Algumas lojas, como a Amaro, no Brasil; e Bonobos, Warby Parker e Nike, no exterior, têm demonstrado o sucesso do “experimentar’’ e receber o produto em casa, ainda que a compra não seja efetuada.

Com isso, vê-se uma nova configuração da compra, tendo o consumidor como o definidor do processo e não, o estabelecimento comercial.

5) Vitrine infinita


A compra digital, muitas vezes, é mais informativa que a física, em que pese a possibilidade de experimentar o produto na hora. E se fosse possível aliar essas duas experiências?

Na verdade, isso já é possível com a vitrine infinita. Trata-se de uma tela interativa com novidades de produtos, que deixa ao alcance do consumidor informações importantes na hora da compra. Quantidade de produtos em estoque, promoções, combos, formas de pagamento, tudo isso está contido nessa tela. A nova loja traz ainda mais autonomia para o consumidor, que vai poder escolher como e quando comprar e como receber o que adquiriu.

6) Ao alcance das mãos

Um detalhe importante para quem quer uma boa venda é valorizar seus produtos, principalmente pensando no seu tíquete médio de compras. Que tal misturar produtos e local para sentar e experimentar os calçados?

Para isso, você não precisa oferecer o produto ao cliente. Deixe próximo dele bolsas, chinelos, carteiras e itens mais baratos. Isso pode impulsionar o seu tíquete médio.

7) Locker

locker a nova loja
Amazon já faz uso do locker

Muitos clientes gostam de comprar pela internet, ao invés de irem à loja física e, muitas vezes, não recebem o produto em casa. Aliás, você nem precisa ter um bom sistema de entrega se tiver um locker, isto é, um armário onde o cliente pode retirar a sua compra sem a necessidade de interagir com loja física.

O locker pode estar dentro da sua loja, no estacionamento de um shopping ou em outros centros de compra. Assim, ele pode comprar em casa e retirar o produtos sem envolvimento com os funcionários da loja no processo de compra.

8) QR Code

Uma das formas de impulsionar a nova loja é o QR Code. Ele dá acesso a especificações dos produtos, disponibilidade em estoque, solicitação de produto para experimentar e pagamento online.

Esse aplicativo de celular por meio do escaneamento de código QR pode ser excelente para o engajamento do consumidor.